Atacarejo segue sua rota de expansão

Setor tem ano positivo e projeta novo ciclo de crescimento para 2022   Além do controle de despesas e otimização dos custos, aspectos que esses mercados estão focados, o modelo atacarejo está atraindo cada vez mais a atenção do público em geral. Afinal, nessas redes, o consumidor consegue realizar compras maiores. E, ao mesmo tempo, ser beneficiado por preços unitários mais baixos. Ajudando assim, a manter o orçamento sob controle. Em 2021, dois importantes fatores influenciaram a dinâmica do varejo. O primeiro deles foi a volta gradativa dos brasileiros às ruas. Isso, devido à desaceleração dos números da pandemia. Este evento, consequentemente, aqueceu o consumo fora do lar, depois de um 2020 em que ele ficou concentrado dentro dos domicílios. O outro fator está relacionado à situação econômica do país, que viu sua inflação avançar e afetar a renda das famílias. Neste campo, soma-se um primeiro trimestre sem o fornecimento do auxílio emergencial e o desemprego, que embora tenha diminuído, segue em nível elevado. “Por isso, o que vimos foi um consumidor mais cauteloso, buscando a relação entre custo e benefício e muito atento a promoções”, resume o líder de Desenvolvimento de Negócios da NielsenIQ, Daniel Asp Souza.  Diante desse cenário e considerando as vendas em valor, o atacarejo foi o canal do varejo alimentar com o melhor desempenho, favorecido pelo preço e pelo aumento nas compras de abastecimento em 2021. As vendas do segmento saltaram 15,8%, sendo que o grande destaque de faturamento são as regiões do sudeste e centro-oeste. Além disso, no ano de 2021, houve muitas inaugurações de lojas no formato de atacarejo com avanço para o interior dos estados, com redes. Inclusive, chegando a cidades com 60 mil habitantes, o que não acontecia até pouco tempo atrás.

Previsões para o atacarejo em 2022

De acordo com a Pesquisa Tendências 2022, realizada pela ABRAS, o empresário supermercadista está confiante em aumento de receita para este ano. Inclusive, uma parcela significativa prevê aumento de dois dígitos dos seus negócios. Naturalmente, o varejo seguirá lidando com os reflexos de 2021 no campo econômico e ainda terá de lidar com as incertezas do mercado interno. Por isso, acredita-se que 2022 será um ano bastante desafiador. A instabilidade política, por ser um ano eleitoral, e as expectativas de inflação para o período são pontos de atenção. Outro ponto a destacar é que a expansão das redes supermercadistas pelo país entre 2020 e 2021 gerou maior competitividade entre os mercados e o centro da atenção, daqui em diante, deverá ser o cliente. Com mais opções de locais de compras, serão destaque aqueles que focarem na experiência dos seus clientes. Além de preço adequado à realidade do mercado, existem outros fatores que merecem atenção:
  • O mix adequado ao perfil das áreas de influência;
  • Baixos níveis de ruptura;
  • Melhores formas de atendimento e relacionamento com o cliente.
Bem como saber o que e quando ofertar seus produtos. Esses serão fatores fundamentais para o varejista se diferenciar da concorrência. Sobre as movimentações em torno do atacarejo, existe a certeza de que 2022 será de muita ação, aprendizados e conquistas. Esse sem dúvida é um dos setores mais organizados, responsável por uma notável e expressiva parcela do PIB brasileiro. Por isso, acredita-se que mesmo em meio a todos os desafios, este será um grande ano para o setor. Afinal, o atacado/atacarejo ainda tem muito a crescer no país.]]>

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir