franquias no Brasil – boticário

Franquias resistem à covid-19 e surpreendem em 2020

Leia também: Vem pra cá! Queremos sua marca aqui no Shopping Cidade Maringá! Felizmente, diversos segmentos aumentaram seus faturamentos, como os de casa e construção (12,8%), saúde, beleza e bem estar (3,1%) e comunicação, informática e eletrônicos (0,5%). Quanto a outros, adaptações permitiram uma redução de danos, a exemplo do alimentício, com o delivery, e de moda, por meio da digitalização. Nestes casos, a queda foi de 15,5% e 20,9%, respectivamente. Por outro lado, há aqueles notoriamente prejudicados pelo novo coronavírus, como hotelaria e turismo (redução de impressionantes 49,8%) e entretenimento e lazer (29%), seguidos de serviços educacionais (10,7%). Quatro mil unidades franqueadas fecharam as portas. Entretanto, espaço para otimismo há de sobra. Uma pesquisa feita no final de dezembro com 340 redes franqueadas mostrou que 64% delas esperavam crescimento superior a 10% em 2021. Outras 19% projetaram expansão de 5% a 10% neste ano, indica a Infomoney.

Franquias que se destacaram e o que esperar

O cenário entre a época do levantamento e o de agora pode ter mudado. Ainda assim, algumas redes de franquias mantiveram um alto número de unidades em 2020. Isso sugere que, com o planejamento adequado e os investimentos certos, crise alguma é capaz de conter o espírito empreendedor. Redes com investimento acima de R$ 90 mil dominaram o ranking das 50 maiores do país da ABF. Dentre elas O Boticário, McDonald’s e Cacau Show ocupam o pódio, com 3.620, 2.567 e 2.371 lojas respectivamente. Além disso, Subway (1.863) e Am/Pm (1.804) as acompanham no quarto e quinto lugar. Leia também: Mercado imobiliário e adaptação: uma grande lição Por fim, saltos gigantescos ocorreram em um ano. Acquazero (serviços automotivos) registrou expansão de 152%, saltando do 111º para o 43º lugar. Remax, com 80% a mais, e Mercadão do Óculos, 67%, também tiveram seus destaques. Dentre as estreantes estão Shell Select, Remax, Mercadão do Óculos, Acquazero, Clube Melissa, Casa do Construtor e Sodiê Doces. A expectativa é de que, com a aceleração das vacinas, mesmo frente à queda quase certa do primeiro trimestre, gerada pela piora da pandemia, haja um contraste melhor em relação a 2020. Se o futuro ainda é incerto, a garra e a capacidade de adaptação dos empresários permitirão a retomada que tanto esperamos. Isso, claro, com a segurança de funcionários, clientes e parceiros em primeiro lugar.]]>

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir