• 41 99235-9570 / 41 99235-9540
  • 41 3324-3235
Clique aqui e
confira nossas oportunidades
Foto de pai e filho guardando garrafas de plástico em uma sacola verde, estampada com o símbolo de reciclagem, um exemplo de aplicação de logística reversa.

Logística reversa: potencial econômico e sustentável

A adoção da logística reversa em favor do desenvolvimento sustentável tem se tornado uma tendência entre as organizações. Principalmente por conta do impacto social e ambiental pelo qual o setor empresarial é responsável.

Com o tempo de vida útil dos produtos cada vez menor, encontrar uma destinação correta para o descarte gerou um desafio. Felizmente, isso logo foi solucionado. No sentido de continuar o crescimento econômico sem que isso gere impactos negativos ao meio ambiente, as empresas começaram investir pesado em logística reversa.

Isso porque essa modalidade permite que a geração e a destinação dos resíduos industriais sejam controladas de forma a gerar retorno financeiro para a empresa. Simultaneamente, obtêm-se reconhecimento social.

Inclusive, a economia gerada pela reutilização de produtos pode se tornar algo fundamental para a permanência dos itens no mercado. Até para a sobrevivência de muitas companhias.

Leia também: Franquias resistem à covid-19 e surpreendem em 2020

Logística reversa: objetivos

De forma simplificada, o objetivo principal da logística reversa é impulsionar a sustentabilidade. Nesse sentido, as ações relacionadas à abordagem, utilizando o conceito dos 3 Rs (reutilização, reciclagem e reparo), se concentram em:

• Elaborar um planejamento para que o produto ou material retorne ao seu ponto de origem;
• Monitorar a movimentação do produto na cadeia logística para que ele siga na direção consumidor > produtor;
• Procurar meios para aproveitar melhor os recursos, seja na forma de reutilização do material para outros fins ou no reaproveitamento para a fabricação da mesma embalagem;
• Assegurar que o produto terá uma destinação correta após o uso.

Desse modo, pode-se entender que a logística reversa é complementar à logística tradicional. Afinal, se o papel da segunda é levar o produto até o consumidor, a primeira procura retorná-lo à fábrica. Combinadas, criam um ciclo sustentável.

Leia também: 3 soluções de logística para otimizar resultados

Exemplos de empresas que adotaram a logística reversa

Boticário

Desde de 2006, o Boticário investe em logística inversa. Dono de um dos maiores programas do país, hoje tem mais de 4 mil pontos de venda no Brasil que realizam a coleta de embalagens de cosméticos de qualquer marca.

Após o recolhimento, os materiais são encaminhados para cerca de 20 cooperativas de reciclagem. Abastecidas, elas conseguem gerar renda para muitas famílias.

Assim, o consumidor reconhece o valor da reciclagem e entende que, assim como a empresa, também possui um papel a desempenhar. Neste caso, encaminhar o que usa de volta às lojas.

Um exemplo bem prático de reutilização é o vidro do perfume Malbec Club. Ele é reciclado e evita que a empresa utilize 180 toneladas de material virgem por ano.

Nespresso

Desde 2011, a Nespresso atua em parceria com mais de 80 cooperativas em todo o Brasil para a reciclagem do alumínio que é utilizado na fabricação das cápsulas de café. Enquanto o alumínio é destinado à fabricação de outros itens, o pó de café vira adubo orgânico. Além disso, desde 2020, a Nespresso vem aprimorando ainda mais seus processos em relação à sustentabilidade.

Hoje, a companhia produz cápsulas a partir de 80% do alumínio reciclado; os clientes também passaram a ter a possibilidade de fazer a devolução das cápsulas nas Boutiques Nespresso ou nos mais de 200 pontos de coleta espalhados pelo país. Por fim, há ainda a opção de enviá-las pelo correio sem custo, em caso de não existirem Boutiques ou pontos de coleta próximos.

E a sua empresa, como atua em favor do meio ambiente?

Comentários

comentários

Fique por dentro das nossas oportunidades.

Cadastre-se e receba nossas newsletters.